• Percursos Pedestres

  • Ecovias

  • Centros de Bicicletas

  • Caminhos da Fé

PR 22 – Trilho do Fojo da Cabrita

Here you can create the content that will be used within the module.

Tipo de Percurso

Pequena Rota Circular

Distância

11.7km

Duração

4.00h

Dificuldade

3 Moderado
p

Estado do Percurso

✅ Circulável
h

BROCHURA OFICIAL

DOWNLOAD: Sem ficheiro PDF

O Trilho do Fojo da Cabrita é um percurso pedestre denominado de Pequena Rota (PR), cuja marcação e sinalização cumprem as diretrizes internacionais. Este percurso localiza-se na encosta poente da Serra da Soajo.
O local de início deste percurso é junto ao parque de campismo da Travanca, situado próximo da Porta do Mezio, uma das entradas principais no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) com valores ímpares da fauna, flora e uma secular presença humana comprovada através do núcleo megalítico do Mezio e das gravuras rupestres do Gião.

Continuar a ler...

Iniciamos a descida seguindo o caminho florestal de terra batida, para logo em seguida cruzamos o Rio Grande na Ponte da Travanca e continuamos o caminho florestal, sempre à nossa direita, onde vamos observando diversos elementos paisagísticos de singular beleza que contribuem para o enriquecimento patrimonial desta região de montanha. Pelo caminho, também encontramos além dos urzais-tojais resultantes da degradação dos carvalhais, algumas turfeiras, uma grande cobertura de musgos e quase sempre uma nascente por perto. Continuando o estradão florestal após a primeira bifurcação, seguimos à direita, passamos pela Branda da Berzavó à nossa esquerda; seguindo, ainda do lado esquerdo deparamo-nos com a Branda da Piorneda e à nossa frente, no alto, com a “lage escura”, maciço rochoso que se destaca da restante paisagem. Prosseguimos o caminho e vamos encontrar o “Cabeço dos Bicos” entre duas elevações, e um miradouro natural, onde podemos estender a vista sobre o vale do Ramiscal e lá ao fundo ver o “Fojo da Cabrita” e as Brandas da Lombadinha (Albar, Soengas e Montelos). Descemos a encosta pela calçada dos bicos, erigida há séculos, que vai serpenteando geometricamente toda a encosta, com os seus sete lanços, construída com o principal objetivo dos romeiros chegarem à Senhora da Peneda. No fim da calçada, vamos encontrar o cortelho do Brialho, construído pelas gentes da Lombadinha e Carralcova, para vigiar e impedir que o gado invadisse os terrenos florestais, sujeitando-se a uma multa, elevada para as suas parcas economias. Mais alguns metros e encontramos o monumental fojo da cabrita. O fojo é uma armadilha construída em pedra, de forma circular e com muros com cerca de 2 metros de altura, ligeiramente inclinados para dentro, de forma a facilitar a entrada do lobo e de maneira que não saísse. Para tal colocavam dentro uma cabra adoentada ou velha que atraía o lobo, o qual era capturado pela população. A partir do Fojo, seguimos novamente um estradão florestal que faz a divisão do PNPG, e que nos leva a passar pela Brandas de “Bostejões”, de “Curdifeito”, esta colocada um pouco acima de nós a meia encosta. Continuando passamos junto à casa florestal da Junqueira e chegamos à ponte do “rio Grande” e novamente ao cruzamento para o parque de campismo da Travanca.

 

• Não saia do percurso marcado e sinalizado.
• Preste atenção às marcações.
• Evite fazer ruídos e barulhos.
• Respeite a propriedade privada.
• Feche portões e cancelas.
• Não abandone o lixo, leve-o até ao respectivo local de recolha.
• Não incomode os animais. Cuidado com o gado.
• Não recolha plantas, animais ou rochas. Deixe a natureza intacta.
• Faça fogo apenas nos locais destinados para o efeito.
• Evite andar sozinho na montanha.
• Guarde o máximo cuidado nos dias de nevoeiro.
• Utilize sempre botas de montanha, impermeável e um chapéu.